Guia de fornecedores não é só para blogs de casamentos

Categoria(s) do post: Planejando seu blog

Blogs sobre casamento com guia de fornecedores não é novidade: os bons blogs desse nicho sempre têm. Mas será que essa opção é só para blogs de casamentos? Vem comigo que hoje vamos falar de guias de fornecedores – talvez seu blog também possa ter um, mesmo que seu nicho não tenha nada a ver com casamentos!

Guia de fornecedores é, como o próprio nome já diz, um guia/uma listagem com sugestões e indicações de fornecedores. Vemos muito em blogs de casamento, como o do Colher de Chá, feito pelo xCake. Mas…

Guia de fornecedores é só para blogs de casamentos?

Não. Existem muitos outros nichos que podem fazer uso dessa ferramenta, basta colocarmos a criatividade para trabalhar. Exemplos:

  • Blogs de fotografia: guia com locações, maquiadores, produtores de moda, etc.
  • Blogs de artesanato, do-it-yourself (“faça você mesmo”) e afins: locais e suprimentos (linhas, agulhas, tecidos, madeira, etc).
  • Blogs de moda: costureiras, sapateiros (para arrumar aquele sapato que você ama, mas quebrou o salto).
  • Blogs de decoração: lojas de tintas, materiais e ferragens em geral (rolos e pincéis para pintura, material elétrico, etc), marceneiros, pedreiros, etc.

Existem muitas outras possibilidades de nichos que podem se valer de guia de fornecedores. Quando vamos criar um blog ou site sempre devemos pesquisar outros blogs e sites do mesmo nicho e talvez o guia de fornecedores seja justamente o que vai diferenciá-lo dos outros blogueiros: você terá guia de fornecedores mesmo que não fale de casamentos, mas os outros blogs do mesmo nicho que o seu possivelmente não tenham. Saia na frente, seja o primeiro do seu nicho a fazer guia de fornecedores! Seu blog não é novo? Tudo bem também: uma repaginada pode lhe trazer excelentes resultados – já pensou que delícia um layout novinho em folha e com a novidade do guia de fornecedores? ;)

Porque oferecer um guia de fornecedores

A primeira vantagem é oferecer um conteúdo o mais completo possível para seu público. E visitante satisfeito se torna leitor fiel e recomenda para outras pessoas, o que no fim significa melhores resultados na monetização e no SEO. E não estamos falando apenas de número de pageviews, mas também do tempo que cada visitante permanece na página, afinal pra consultar uma lista de fornecedores é necessário permanecer um tempo razoável no guia.

A segunda vantagem diz respeito ao tempo que você leva para responder comentários no blog. Se você tem um blog de moda, já deve ter respondido centenas de comentários de pessoas perguntando se você tem uma boa costureira ou sapateiro para indicar. Se você fala de gastronomia e receitas, certamente muita gente já deixou comentário perguntando onde conseguir este ou aquele temperinho especial ou produto difícil de encontrar. Se você é fotógrafo, o número de pessoas que perguntam de maquiadores já deve estar na casa dos milhares – inclusive por parte de pessoas que frequentam blogs de casamento, afinal que noiva não quer estar lindamente maquiada nas fotos do casório? Ter um guia de fornecedores otimiza seu tempo, pois os visitantes podem pesquisar direto no guia ao invés de perguntar nos comentários – e, se mesmo assim perguntarem, ao invés de ter que procurar o contato solicitado, pode apenas indicar o link do seu guia.

Terceira vantagem: money, dinheiro, grana, cash. Se você tem um blog com boa visitação, que fornecedor não iria querer aparecer no seu guia? E aí entramos no próximo tópico sobre esse assunto.

Posso monetizar o guia de fornecedores?

Pode – mas com muito cuidado! A credibilidade de um blogueiro vale ouro, portanto você precisa ser muito criterioso na hora de colocar publicidade no seu blog e/ou de fazer parcerias.

Se aquela sua amiga designer ou arquiteta lhe indicar uma loja de móveis planejados e, depois, você constatar que os produtos e serviços da tal loja são ruins, como fica a credibilidade da sua amiga com você? Vai pro espaço, você perde a confiança nela. Com seus leitores é a mesma coisa: se você indicar fornecedores ruins, vai perder seu público.

Certifique-se, portanto, de que o fornecedor ou prestador de serviços é realmente bom antes de colocá-lo no seu guia. Se você não conhece pessoalmente o produto ou serviço da pessoa (ex.: uma leitora fiel divide a dica de uma costureira em uma cidade diferente da sua), coloque junto com o contato que é uma dica da leitora (dê os créditos, coloque nome e link dela), que pessoalmente você ainda não conhece o serviço ou produto daquele fornecedor.

O mesmo vale para quem lhe procurar para aparecer no seu guia: por mais que sua situação financeira não seja das mais favoráveis no momento e a possibilidade desse dinheiro extra seja tentadora, sua credibilidade como blogueiro vale muito mais do que o dinheiro do anúncio no seu guia, portanto verifique pessoalmente como são os produtos e serviços da pessoa que quer pagar para aparecer no seu blog. Não arrisque, sua reputação vale mais do que o anúncio.

Originalidade no guia

E mais uma vez estamos aqui falando sobre a importância de não fazer cópias. Não é  só uma questão de Direitos Autorais (que é extremamente séria!), mas também de você se destacar na multidão. Vemos tantos blogs parecidos por aí que, no final das contas, a gente nem lembra mais se leu determinado artigo no blog do Fulano ou do Beltrano, porque os layouts são praticamente iguais. Com o guia de fornecedores é a mesma coisa: seja original e destaque-se na multidão.

Não se envergonhe de dizer ao seu webdesigner que você não conseguiu pensar em modelos diferentes dos guias de outros blogs: se ele é um bom webdesigner, ele sabe que quem tem obrigação de ser criativo com layouts é ele, não você. Sua obrigação é dominar a sua área de atuação, não webdesign. Não é só humildade da sua parte em reconhecer que não teve muitas ideias, é inteligência também: você não vai deixar de ser original e se destacar dos outros blogueiros só por orgulho de não aceitar as sugestões do webdesigner, certo?

Como acredito que ver exemplos pode ser motivador, vou falar do meu caso, quem sabe inspiro você. Já comentei por aqui que sou publicitária, ou seja, entre tantas outras coisas, eu estudei também sobre Direção de Arte na faculdade, portanto eu tenho boas noções de design. No entanto, essa não é minha especialidade: meu amor maior é com as palavras e o planejamento. Por isso, mesmo tendo noções de design, na hora de falar de layout eu chamo os amigos designers, webdesigners e diretores de arte. Por mais que eu entenda o que eles estão fazendo, deixo a criação nas mãos deles, afinal eles é que são especialistas nisso. E isso não é vergonha, é inteligência: deixar cada tarefa para quem é especialista no assunto faz com que o resultado final seja melhor.

É claro que você deve dizer ao webdesigner suas ideias sobre o layout do seu guia de fornecedores, briefing serve para isso mesmo. Mas dê espaço para que o profissional contratado apresente sugestões diferentes, deixe-o pensar fora da caixa. Você pode se surpreender com um guia funcional, bem organizado, prático, mas completamente diferente dos outros, destacando você da multidão.

E então, pronto para colocar a criatividade para funcionar e pensar em um guia de fornecedores pra você também, mesmo não tendo um blog sobre casamentos? :)

Fechado para novos comentários.